BR 116 ou BR 101 – qual o melhor caminho?

Um dos assuntos mais procurados no meu antigo , Viajdndo de carro. O melhor caminho para fazer entre SP e  RS. Qual estrada é melhor entre Porto Alegre e Curitiba? BR-101 ou BR-116? Bem, de São Paulo a Curitiba o caminho é a Régis Bittencourt, apesar do trecho ainda não concluído na Serra do Cafezal, em SP. No começo de janeiro de 2017 saí de Curitiba para São Paulo e fiz a viagem sem problemas. Era domingo, primeiro de janeiro, com pouquíssimo movimento. Eu diria que a BR-116 estava como a gente gosta:

DSCN4466_640x480

Uma das regiões mais bonitas da Régis fica no Paraná, quase na divisa com São Paulo.DSCN4465_640x480DSCN4467_640x480

Em dias de grande movimento é preciso ficar atento com os caminhões na subida da serra. Apesar de ser obrigatório trafegar na direita, os menos lentos querem passar dos mais lentos e às vezes caminhões ocupam as 3 faixas. Além disso, caminhoneiro quando vai ultrapassar não quer saber se tem carro ao lado, toca por cima. Ao ultrapassar um caminhão, acelere o máximo possível e fique o menos tempo que puder ao lado do caminhão. Outra coisa: na subida da serra há trechos com velocidade máxima de 60 km. Fique atento às placas que há radares. O trecho da serra do cafezal em SP ainda é complicado, mesmo que no sentido norte a pista esteja totalmente duplicada. Na subida, a pista da direita está ruim, cheia de calombos. Lá ocorre o mesmo problema com os caminhões, que muitas vezes usam as 2 faixas para ultrapassar um carro mais lento. Outro problema são os motoristas que não sabem dirigir em estrada e andam em marcha lenta na pista da esquerda, sem dar passagem para quem quer ir mais rápido. É preciso muita atenção neste trecho de uns 30 km. Na chegada a São Paulo há 2 ou 3 pistas, mas muito movimento e radares. Trecho também requer atenção. No sentido inverso, de São Paulo a Curitiba, o trecho mais problemático é o da Serra do Cafezal. Na viagem que fiz, em 29 de janeiro de 2017, saí de SP bem cedo, antes das 6h. Era um domingo e o movimento menor. O fato de ter saído cedo ajudou, porque peguei poucos caminhões na Serra do Cafezal. Tinha um pouco de neblina. Há uns 5 km em pista simples para quem vai para Curitiba. Depois tem um trecho de uns 2 km duplicado e mais 6 km de pista simples. O asfalto, deste lado da estrada, também tem muitas falhas.DSCN5123_640x480DSCN5122_640x480

Para mostrar o que escrevi antes, é preciso tomar cuidado com os caminhões, que muitas vezes usam as 2 pistas, apesar das placas indicando que caminhão e ônibus tem que usar obrigatoriamente a pista da direita. E tem muito caminhoneiro bandido, mesmo.DSCN5129_640x480

Já a viagem de Curitiba para Porto Alegre, ou vice-versa, agora ficou mais fácil. Só use a BR-116 em caso de extrema necessidade. A BR-101 está duplicada. O maior entrave nesta estrada é o movimento mais intenso nos fins de semana de verão em SC. No mais a viagem é tranquila. No trecho da 376, na divisa de SC e PR, é preciso ter cuidado com os radares e o limite de velocidade, que cai bastante. Às vezes a PRF está com radar móvel. Então, não abuse da velocidade. A ponte de Laguna ajudou a melhorar um dos trechos mais complicados da 101. Foi inaugurada em julho de 2015.pontedelagunaSe o seu destino é a Serra Gaúcha, geralmente a melhor opção é a BR-116, apesar da pista simples e dos trechos de serra, em SC e no RS. A parte gaúcha tem um trecho bonito, mas requer paciência. Outros pontos problemáticos, de lentidão, ficam em Lages, SC, e em Vacaria, no RS. Em Caxias do Sul também há lentidão. No entorno de Curitiba, também há bastante movimento. Usar a BR-101 para ir à Serra Gaúcha é uma boa opção. Neste caso,  é preciso subir a Rota do Sol em direção à São Francisco de Paula e Canela e Gramado. Lembro que a 101 está totalmente duplicada agora.101

Tanto a BR-101 como a BR-116 entre SP e RS tem pedágio, mas na Régis os valores são um pouco maior.  Na Régis são 6 pedágios a R$ 3 cada. Na 101 são 4 pedágios em SC, a R$ 2,30. No trecho gaúcho são 2 pedágios, sendo que apenas o de Gravataí cobra nos dois sentidos. O de Santo Antonio da Patrulha cobra apenas no sentido Porto Alegre – Osório e custa mais de uns R$ 6. O de Gravataí custa R$ 3,50. Além dos pedágios, fique atento ao movimento de caminhões, principalmente na BR-116 entre SP e Curitiba.

Na Régis, os principais pontos de parada para refeições ficam em SP, na região de Registro. Há 3 Graal na região, além de outros postos que oferecem boa refeição e banheiros limpos. Dois ficam no sentido Sul e 1 no sentido Norte. O combustível é mais barato no estado de São Paulo, especialmente o álcool. Em Curitiba, a gasolina é barata em alguns postos. Na Régis, depois de Registro em direção ao Paraná, os locais de parada vão se reduzindo, a não ser na região metropolitana de Curitiba, mas aí já é quase o fim da viagem. Na BR-101 em SC, há muitas opções de paradas porque são vários os balneários, especialmente na parte Norte, entre Florianópolis e Joinville. No RS, há bom locais de parada entre Torres e Osório. Depois de Osório até Porto Alegre não tem nenhum. Na BR-116 entre Curitiba e Porto Alegre é difícil encontrar um bom lugar para refeição, a não ser perto das cidades maiores, como Lages, Vacaria e Caxias do Sul. Quem curte fotografia, pode me seguir no Instagram.

 

No Blog Viajando de Carro há muitos comentários com dicas de pessoas que viajaram por lá. Não é possível comentar mais lá, mas neste blog sim. Eu também estou no email: marcosh1985@gmail.com para qualquer dúvida.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s